domingo, 18 de agosto de 2013

Era Para Ter Sido Você


Era para ter sido você, sabe? Eu te olhei a primeira vez e foi exatamente isso que pensei. Você tinha tudo o que eu adorava –olhos, boca, cabelo e aquela barba que, se a história fosse escrita por outra pessoa, teria me enlouquecido. E tudo bem a gente nem ser tão parecido, a gente se encontraria e se encaixaria. Porque para mim o amor é isso: um encaixe de peças desconexas. Nem metades. Peças que sozinhas não fazem sentido e trilham um caminho, mas que juntos contam uma bela história. Sem precisar de esforço para encaixa-las. Simples. Como eu sou. Mas não foi isso que aconteceu, não é? Juntos a gente perdeu a rima. Ficamos tortos. Não tivemos graça.


Eu tentei assim mesmo, sabe. Mesmo vendo que não tava juntando as peças como deveria. E foi por isso que insisti um pouquinho. Ainda que fazendo careta de suas piadas ruins. Mesmo tendo que respirar fundo pra não te deixar falando sozinho toda vez que você ultrapassava um limite que deveria saber existir. Mesmo quando você ficou sem saber onde colocar suas mãos –minha cintura, meus ombros ou dez metros de distância por medo de ser rendido –Sobrou assunto e faltou química. Logo a gente que eu bem que pensei, ao te ver pela primeira vez, tinha tudo a ver. E ficou provado, no beijo desastroso, que não tínhamos assim, tanto em comum.  Dois estranhos que separados pareciam bons juntos, e juntos, nunca ficaram tão separados.

A verdade é que faltou um soco no meu estômago quando nossos lábios se encontraram. As borboletas do estômago viraram grilos em minha cabeça. Você não me tirou o ar, o chão nem os pensamentos de ordem. Culpa sua que veio cheio de dedos com medo de me ofender. Culpa minha que criei expectativa demais achando que seria você. Culpa nossa e de nossos desejos urgentes e gritantes que não casaram. A gente perdeu o foco, você perdeu a chance e eu, sem te ter, perdi você.

Eu teria insistido um pouco mais, sabe? Me segura aqui, me prenda ali, me beija sem medo alguma vez. Se ainda assim não der certo, trapaceei. Puxe o tapete e me derrube no chão. Qualquer coisa vale se conseguir me roubar o ar. Mas aí ele apareceu. Sem piadas ruins, sem medo, sem pretensão de me querer só para ele e sem barba também –mas isto era um detalhe tão pequeno que dei de ombros e fui praqueles braços magros assim mesmo. Desculpa por isso, por tudo e por nada que vivemos. Eu nunca quis brincar com você ou com seus sentimentos. Era para ter sido você mesmo. Entende? Eu realmente quis que fosse. Mas o querer nada tem a ver com tudo isso. E aí, quando vi, no fim de nossa história, eu descobri que nunca tinha sido você. Tinha sido só meu desejo bobo e minhas expectativas absurdas que desandaram no primeiro beijo.


Era para ter sido você. Se não fosse tantos desencontros e se não fosse ele. Sabe? Porque, na verdade, hoje eu entendo. Mesmo sem saber, não era você, era ele que eu sempre quis. E que bom que ele me quis também.




10 comentários:

  1. AFFFFFFFFFFFFFFF
    EU TO IN LOVE POR ESSE TEXTO.
    APENAS O QUE TENHO A DIZER


    BEIJOS

    ResponderExcluir
  2. Ain que texto mais lindo!
    Para de ser phoda mulher. hahaha
    Pra variar,você escreveu perfeitamente. <3

    ResponderExcluir
  3. Sabe, não é você, você é muito bom, mas... Ele é tão...
    Rsrs
    http://doisquintos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Porque para mim o amor é isso: um encaixe de peças desconexas.

    <3


    Mesmo sem saber, não era você, era ele que eu sempre quis. E que bom que ele me quis também.


    <3 <3 Sá menina sempre no topo das melhores frases. amo/ Nanda, Parabéns !!!

    ResponderExcluir
  5. Desculpa por isso, por tudo e por nada que vivemos. Eu nunca quis brincar com você ou com seus sentimentos. // Own.. lindo, lindo <3

    ResponderExcluir

Comentários

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compartilhe