domingo, 9 de setembro de 2012

Esquece






É que. Olha. Desculpa começar pelo fim e nem mesmo começar direito. Desculpa minha falta de jeito com as palavras, com meus sentimentos, com meus pensamentos. Desculpa minha falta. É que. Olha. Eu nunca fui de escrever, mas sinto que se não falar vou enlouquecer. Eu nunca fui de falar o que sinto, você sabe, mas se não falar vou acabar me afogando em mim mesmo. Tem como? Você nunca vai ler e a gente sabe. Isto nunca vai chegar a você. E, mesmo se chegasse, você não daria a mínima. Eu sei. Já entendi. Acabou. E não tem mais voltas.

É que. Olha. Tá sendo difícil demais sem você. E eu que achava que você era só mais uma que passou por minha cama, pela minha vida. E eu que achava que não doeria te ver indo embora. E eu. Achava. É que. Olha. Acho, quase tenho certeza e quase morro de dor, que estava completamente equivocado. E não muda nada. Eu sei.

Acordei precisando de seu sorriso e da sua calma. Nem quis sair da cama porque é domingo, você sabe, odeio domingos, e você não estava aqui para me animar. Fiquei ali, pensando em você, vestida com minha blusa, cantarolando uma música brega e irritante, toda desafinada sem se intimidar, enquanto faz meu café da manhã. Quase te vi pulando animada pela cozinha, enquanto eu, grogue de sono, reclamava de sua animação fora do normal matinal.

É que. Olha. De todos esses dias longe de você, hoje é o que tá doendo mais. É meu aniversário. E ninguém lembrou-se de mim. Nem você. E você disse que, mesmo se as coisas chegassem ao final, me mandaria um cartão. Não tem nada na caixa do correio. Você se esqueceu. E doeu.

Eu sei que fui eu quem quis assim. Eu quem não dei valor. Eu quem te mandei embora. Mas foi você quem foi. E foi sem olhar para trás. E foi sem pestanejar. E foi sem nem ao menos me dar um toque dizendo que ainda sentia minha falta. Eu sei que. Olha. Você seguiu sua vida e não está errada de me abandonar. Não estou te cobrando nada até porque nunca te dei nada. Eu sei disso. Você é que não sabe das vezes que chorei de baixo do chuveiro por você e disquei seu número, mas desisti antes do primeiro toque. Não é que te esqueci, é que lembro tanto que sei, dolorosamente, que você merece alguém melhor do que um covarde, alguém melhor do que eu.

É que. Olha. Desculpa terminar assim, tá doendo tanto sem você que não consigo expor, ser claro e coerente. Sinto muito não termos terminados juntos. Sinto muito você nunca saber sobre tudo isso nem de tantas outras coisas que nunca consegui dizer.


É que. Olha. Esquece. Como eu disse que esqueci você.

Um comentário:

  1. Eu choooorei :(
    Ai que triste, que lindo, que emocionante *-*
    Amei, Nanz!

    ResponderExcluir

Comentários

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compartilhe