terça-feira, 15 de janeiro de 2013

As Coisas Que Amo Em Você




Eu amo o modo como você sorri, as covinhas que se formam em suas bochechas de um jeito que te faz parecer uma menina levada, o jeito com que seu sorriso faz brilhar seus olhos. Eu amo seus olhos e o jeito com que eles dizem muito mais do que você queria dizer, e o jeito com que eles me puxam para dentro, para um mundo que eu não me canso de descobrir. Eu amo o modo como seu cabelo balança, de lá para cá, como ondas de sereia feitas para em enfeitiçar.


Eu amo e me rendo aos feitiços que você faz em mim, sem me importar que você destrua meu mundo todo com seu poder. Eu amo que agora você seja o meu mundo. Amo o modo com que você me seduz, tão inocente e pecaminosa, como se não estivesse fazendo isso. Você me faz parecer um adolescente sem controle e, acredite, eu amo isso também.  Eu amo seu jeitinho quando eu falo uma besteira no seu ouvido e você fica envergonhada; você nunca fica vermelha e isso me faz querer ver sempre qual a temperatura do seu corpo em qualquer lugar que estivermos.

Eu amo a cara que você faz quando fica brava, como você levanta esse seu nariz e faz bico como uma criança pirracenta para me convencer a concordar com você. Você não tem medo de me enfrentar porque sabe que não precisa de muito para me render. Eu amo o jeito com que você bate o pé, seu olhar desafiador, sua voz me repreendendo. O modo como rola os olhos quando não gosta do que eu falo, mas, logo depois, não consegue segurar um sorriso que te desmente e me desmonta inteiro. Eu amo o modo como seus cabelos se espalham por minha cama e seu cheiro impregna meu quarto. O jeito com que nossos corpos deslizam juntos rumo ao paraíso, as coisas que você fala ao pé do meu ouvido, a loucura que me faz querer cometer quando chama pelo meu nome.

Eu sou louco pelo jeito com que você se pendura em mim e como gruda em meu corpo quando está com ciúme. O modo como minha mão abraça sua cintura e como você vem para mim com uma leve puxada, sem resistência. Eu amo sua voz desafinada cantando de manhã de baixo do meu chuveiro, seu mau humor de quando está com fome, seu descontrole quando toca uma música que gosta no rádio. O jeito com que você dança, desengonçada e livre como criança, me deixa maluco. E como você se machuca o tempo todo, batendo nos móveis, sem se importar.

Eu amo a leveza dos seus ombros, a despreocupação estampada em seu rosto, o jeito com que encara a vida sempre esperando o melhor. E o modo como segura minha mão sem soltar, me dando o equilíbrio que me faltava para continuar. É isso: eu não tenho a menor vergonha de assumir, de gritar, de dizer ao mundo que amo, sou louco, completamente e irrevogavelmente apaixonado. 

Por você.

Um comentário:

  1. Nossa! Quero um desse. Texto lindo, como sempre!

    ResponderExcluir

Comentários

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compartilhe