quarta-feira, 8 de abril de 2015

Escolha Mudar

 http://3.bp.blogspot.com/-ocj_A5GX91I/VQSaQ5aCCZI/AAAAAAAAAgg/lwwXgRwh1BI/s1600/agt.png



 Certa vez uma amiga minha, vamos chamá-la de S, conheceu um cara pela internet. Não nessas salas de bate-papo que hoje em dia tem mais pornografia do que conversas de verdade, mas sim em um grupo no Facebook do qual os dois faziam parte. Um adicionou o outro e eles começaram a conversar através da rede social. Em pouco tempo trocaram números de telefone e passaram a conversar através de mensagens de texto também. A frequência das conversas foi aumentando, e por mais que a S tentasse negar, para mim e para si mesma, os dois começaram a flertar um com o outro. Aquele tipo de flerte que começa como uma brincadeira e quando nós percebemos está mais sério do que imaginávamos. Até então tudo está tranquilo, não é mesmo? Afinal, novas histórias de amor surgem na internet todos os dias, a S não era a primeira e sem dúvida alguma não seria a última. Entretanto, havia um pequeno detalhe. A S tinha um namorado.
               
É impressionante como a nossa vida pode mudar de uma hora para a outra, um clique na tecla enter pode fazer com que tudo vire de cabeça para baixo. A S era completamente apaixonada pelo seu namorado, tinha certeza disso, mas ela também sabia que toda vez que seu celular vibrava, seu coração disparava dentro do peito só de imaginar que aquela poderia ser uma nova mensagem do tal cara da internet. Será que realmente é possível gostar de duas pessoas ao mesmo tempo? A S se perguntou isso um milhão de vez enquanto tentava não se afundar no remorso que era “trair” o namorado e não ser totalmente sincera com a pessoa que está do outro lado na tela.
               
A S pediu minha opinião algumas vezes e minha resposta era sempre a mesma: termine o namoro. Eu não acreditava que valia a pena ela acabar com um relacionamento por causa de um cara que, apesar de escrever mensagens lindas e encantadoras, ela nem conhecia pessoalmente. Era loucura, ele podia ser alguém completamente diferente da pessoa que ela idealizara através daquelas conversas. Mas também não compensava continuar um namoro assim. Era fato que ela e seu namorado se amavam, mas o amor não consegue sustentar relacionamentos sozinho, e se um namoro abre espaço para que alguma das partes se interesse por outra pessoa é porque algo está errado.
               
No fim, a S decidiu terminar, mas as coisas acabaram não evoluindo com o cara da internet. Após algum tempo ela e o namorado tentaram reatar, mas não deu certo também. A S continua solteira desde a época desses acontecimentos, e mesmo após essa sucessão de “fracassos” ela diz que não se arrepende das escolhas que fez. E eu, como amiga, tenho o coração tranquilo e não me arrependo dos conselhos que dei. A S fez o que deveria ser feito.
               
Todos os dias surgem desafios em nosso caminho, as decisões que precisamos tomar nem sempre são fáceis e quando se trata do amor elas ficam ainda mais complicadas. Mas não tenha medo de fazer as escolhas certas, por mais que suas consequências machuquem um pouco. Pode até parecer conselho velho e clichê, mas o tempo realmente cura tudo, e por mais que sua dor seja grande, um dia vai passar. Sempre passa. O que não vale a pena é viver pela metade, dizendo meias verdade só por medo de sair da sua zona de conforto. Porque é realmente muito ruim trair as pessoas que amamos, mas é ainda pior trair o nosso próprio coração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compartilhe