segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Querido Papai Noel




Desculpa pela carta escrita tão nas vésperas. Sei que parece estranho que alguém desse tamanho ainda possa te enviar alguma carta. Eu não tô aqui para pedir nada material. Talvez você nem possa me dar algo assim, mas só sobrou sua opção.

Nesse ano, Papai Noel, eu quero sentimentos de verdade. Gente que segura na sua mão e não solta na primeira turbulência. Gente que não diz que não vai desistir de você, mas que não desiste sem precisar dizer. Gente que aceita suas diferenças, que não fica tentando te mudar, que não acha que pode te mandar. Gente que é capaz de ficar em silêncio e te escutar, mesmo que não tenha nenhum bom conselho para falar. Gente que não julga, nem critica, e que ainda assim consegue apontar um outro caminho quando você começa a não sair do lugar.

Quero gente de confiança. Gente que não liga se você procura desesperada atrás de um ombro pra chorar às três da manhã. Gente que atende seu pedido de socorro vindo correndo, de avião, de carro, ou só com aquele telefonema inesperado. Gente que sabe dar colo. Gente que sabe abraçar sem sufocar. Gente que sabe ajudar sem precisar jogar na sua cara depois.

Quero gente que tenha tempo, que não deixa a rotina desesperadora atropela-la pelo caminho. Gente que arranja um espaço na agenda para dar noticias. Gente que não se irrita que você não conta sua vida, gente que também não se irrita quando você começa a falar. Gente que fica, quando você grita para te deixar. Gente que não se preocupa em secar suas lágrimas, mas está mais preocupado em te fazer rir.

Gente que não tem medo de assumir que gosta, gente que não se assusta com seus sentimentos. Gente que não corre quando vê suas feridas, mas fica e ajuda a supera-las. Gente que abre uma janela quando todas as portas se fecham. Gente que é capaz de segurar as pontas duras ao invés de soltar.

Nesse ano, Papai Noel, eu só quero gente de verdade que não tenha medo de ser de verdade. Que se doa de verdade. Que se entrega de verdade. Que ama de verdade. Nesse mundo cada vez mais de faz de conta, quero gente que segura a mão de verdade, sem nem pensar em soltar, sem nem pensar em desistir, sem nem pensar.

É só isso, Papai Noel. Eu quero apenas alguém em quem eu possa confiar. Alguém que nunca vai me soltar. Alguém.

Um comentário:

  1. Ai, eu amei muito esse texto, Nanz!
    Muito muito! <3
    Feliz Natal!

    ResponderExcluir

Comentários

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Compartilhe